Clicky

GOVERNO

Dell: proteção de dados exige pilares na segurança cibernética

Luís Osvaldo Grossmann ... 10/06/2021 ... Convergência Digital

Dados pessoais à venda, ataques que paralisam tribunais, informações de rendimentos e até endereços de servidores disponíveis na internet – a sucessão de casos de vazamentos parece comprovar que o ano de 2020 marcou uma inflexão nos riscos cibernéticos.

É o que aponta o diretor da Dell para setor público, Bruno Assaf, que nesta quinta, 10/6, discutiu o impacto da LGPD para governos e empresas durante o e-Fórum Cyber Security - LGPD e Gestão de Risco, promovido pela Network Eventos, em parceria com o portal Convergência Digital.

“Os ataques se tornaram mais comuns e regulares. Os malfeitores migraram rapidamente para o mundo digital. E são ataques mais sofisticados. Em paralelo, nos tornamos mais expostos. Saímos dos escritórios e fomos para casa. As empresas e órgãos públicos também. A vida se tornou mais digital e mais partes das nossas vidas estão no digital.”

Para Assaf, isso significa que a proteção de dados, agora vigente sob a Lei 13.709/18, exige suporte da segurança cibernética. “São pilares sobre os quais a gente tem que construir os conceitos da LGPD. Se a gente não tem esses alicerces de tecnologia, acaba ficando tudo exposto, como aconteceu com os salários dos servidores, os processos judiciais e até endereços de policiais, que no ano passado foram usados pelo PCC através de ataque hacker. Vimos no ano passado uma escalada nessa necessidade porque o Brasil se tornou o segundo país com mais ataques de ransomware no mundo.”

“Mais até que a preocupação com a LGPD em si, vemos a necessidade de uma cultura de segurança cibernética. Hoje tem fornecedor de equipamentos que tem 48 mil servidores expostos na internet por uma vulnerabilidade de hardware. Ter um olhar de ponta a ponta é ter equipamentos e usuários protegidos, para evitar ataques que permitam exposição e comprometimento de dados”, insistiu o executivo da Dell.

“Hoje os malfeitores estão sofisticados e não buscam um ataque generalizado, mas um usuário privilegiado com acesso à informação, um administrador de sistema com acesso ao datacenter. E ficam dormentes por meses, como aconteceu com o STJ no ano passado. E não importa se é datacenter ou nuvem, tem coisas que precisam ser feitas.”


Plano do Ceitec é manter 105 empregados até leilão da estatal em setembro

Em audiências de conciliação no TRT-RS, trabalhadores defenderam a transferência, mas governo ainda resiste à proposta. Estatal em liquidação insistiu na demissão de 33 funcionários, suspensa pela Justiça.

ANPD define listas tríplices para vagas no Conselho Nacional de Proteção de Dados

Dos 122 indicados, Autoridade aprovou 39, de onde sairão os 13 escolhidos pelo presidente Jair Bolsonaro.  Brasscom, Federação Assespro, ConTIC e Feninfra estão entre os selecionados.

LGPD: cidadão vai controlar dados pessoais pelo portal Gov.br

Promessa é secretário de governo digital do Ministério da Economia, Luis Felipe Monteiro. Plataforma permitirá ao cidadão revogar autorizações, ou reclamar à CGU.

Economia será o 'tinder' do financiamento para evitar desperdício no governo digital

“Não faz sentido um estado investir em uma identidade digital se já temos uma no governo, ou dois municípios gastarem com plataforma de gestão de tributo local”, explica o secretário Luis Felipe Monteiro.



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G