Clicky

GOVERNO » Compras Governamentais

Economia abre mais uma consulta sobre nova lei de licitações

Convergência Digital* ... 02/06/2021 ... Convergência Digital

Com o objetivo de regulamentar a nova Lei de Licitações, o Ministério da Economia abriu consulta pública para que interessados no tema contribuam com a elaboração do texto de mais uma Instrução Normativa. Este novo normativo irá tratar sobre a dispensa, parcelamento, compensação, conversão e suspensão de cobrança de débito resultante de multa administrativa que não esteja inscrita em dívida ativa, no âmbito da Administração Pública federal direta, autárquica e fundacional.

O texto pode ser consultado e receber contribuições até o dia 15 de junho no Portal Participa +Brasil . “É importante que seja feita a regulamentação da nova lei de licitações a partir da construção colaborativa do governo junto à sociedade, para que o interesse público esteja sempre alinhado com as ações governamentais”, explica Cristiano Heckert, secretário de Gestão da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia.

A IN tem como objetivo regular os contratos administrativos firmados pelo governo federal e pelos entes federativos que utilizem recursos da União decorrentes de transferências voluntárias. Entre as propostas estão a dispensa da formalização em processo, registro contábil e cobrança administrativa dos débitos caso o valor total não ultrapasse os R$ 1.200 além da possibilidade de parcelar os valores em até 24 vezes, desde que não seja inferior a 0,5% do limite mínimo definido pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Também constam na Instrução Normativa detalhes sobre a compensação total ou parcial dos débitos e, também, a possibilidade de conversão da multa pela continuidade da execução dos serviços após expirada a vigência do contrato, nos casos de prestação de serviços contínuos. Caso ocorra impacto econômico relacionado à emergência de saúde pública causada pela pandemia da Covid-19, o texto prevê, ainda, que a Administração poderá suspender a cobrança por até 90 dias. 

* Com informações do ME


Matérias relacionadas

Dataprev fica com o Ministério da Economia, mas ainda é do INSS

Para o secretário-executivo do recriado ministério do Trabalho e Previdência, Bruno Bianco, manter estatal sob o comando do ministro Paulo Guedes não tem relação com a possível privatização: “Empresa é fundamental para outros serviços.”

Venda do Serpro traz insegurança jurídica e uso indevido de dados

Análise da Data Privacy Brasil aponta para necessidade de envolvimento da ANPD e ausência de exemplo internacional que justifique a privatização da empresa de TI do governo. 

Serviços digitais: RS lidera oferta. São Paulo e Rio decepcionam. DF não manda dados

Bahia, Paraná e Paraíba também se destacaram no Índice de Oferta de Serviços Públicos Digitais dos Governos Estaduais e Distrital, organizado pela ABEP-TIC.

Salvador é a sétima capital a aderir ao Gov.br

Plataforma dispõe de uma rede para impulsionar e integrar as iniciativas por um governo 100% digital. Distrito Federal, 12 estados e 42 municípios já aderiram.

Banco Itaú é multado em R$ 9,6 milhões por uso irregular de dados

Sanção foi aplicada pelo Ministério da Justiça ao braço de empréstimos consignados da instituição, advindo da compra do BMG, e aponta para violações à privacidade, consentimento, e exclusão de dados, todas previstas no Marco Civil da Internet.



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G