Clicky

Convergência Digital - Home

Avião mais rápido do mundo vai usar a AWS como provedora de dados

Convergência Digital
Por Roberta Prescott* - 04/12/2020

"Então, o que uma revolução na computação de alto desempenho tem a ver com uma revolução em aeronaves de alto desempenho. O que é computação em nuvem tem a ver com voarmos através de nuvens reais", questionou Blake School, fundador e CEO da Boom Supersonic, ao participar do AWS re:Invent 2020, realizado pela primeira vez de forma online. School, engenheiro de software construindo a próxima empresa de aeronaves comerciais de viagens aéreas, aposta que, até o final da década, milhões de viajantes diários desfrutarão os benefícios do voo supersônico a bordo de um avião comercial duas vezes mais rápido do que qualquer voo atual. "Isso significa que Tóquio estará a apenas quatro horas e meia de Seattle e Londres, a apenas três horas e meia de Nova York", ressaltou.

Para ele, tudo isso é possível graças aos avanços da informática, que permitiram a uma startup provocar uma revolução na velocidade. "Há 20 anos, atingi dois marcos importantes na vida, como um recém-formado. Comecei meu primeiro trabalho na Amazon como engenheiro de software e comecei a ter aulas de voo no campo da Boeing. Na mesma época, a Amazon estava construindo web services fundamentais que mais tarde se tornariam a AWS, traçando um novo futuro da computação em todos os setores. Mal sabia eu que essas coisas se cruzariam de forma tão poderosa em meu futuro", contou.

A Boom está projetando e construindo o que diz ser o avião comercial mais rápido e sustentável do mundo. E anunciou a contratação da AWS. "A computação de alto desempenho é a chave para esta nova era de design de aviões e a AWS é o provedor de nuvem líder, o que nos permite alavancar uma ampla gama de recursos e serviços. Além disso, o foco implacável da Amazon no cliente significa que algumas das melhores mentes da computação em nuvem estão ajudando a Boom a inovar e ca hegar ao mercado mais rapidamente", justificou.

Blake School, fundador e CEO da Boom Supersonic, explicou que, antes da era dos engenheiros de computação, os aviões eram projetados em rascunhos de papel e réguas de cálculo; eram construídos modelos e testados em túneis de vento, levando a um processo de iteração lento e caro. "Hoje, para projetar aviões mais rápidos, é necessário computadores e métodos computacionais mais rápidos que aproveitem a AWS, economizando literalmente anos de programação e milhões de dólares. Além disso, porque agora podemos testar muitos designs de forma rápida e econômica. Podemos entregar um avião melhor", assinalou School.

A expectativa é que o primeiro jato supersônico desenvolvido de forma independente seja lançado em outubro. "Centenas de projetos de aviões possíveis passaram por testes virtuais de túnel de vento, abrangendo milhares de cenários de voo. Porque a AWS nos permitiu executar muitas centenas dessas simulações simultaneamente alcançamos um aumento de seis vezes na produtividade da equipe. Simplificando, sem AWS, hoje, estaríamos olhando para um esboço de um futuro conceito de avião, não um jato de montagem", ressaltou.

Boom irá gerar petabytes de dados, à medida que projeta e desenvolve a linha de abertura de avião comercial. "Como a AWS nos permite colocar a computação ao lado dos dados, podemos executar modelos em nosso conjunto de dados, obtendo insights acionáveis. Por exemplo, estamos usando aprendizado de máquina para calibrar simulações para resultados de túnel de vento, acelerando a convergência do modelo e nos permitindo entregar uma aeronave mais otimizada."

O CEO ressaltou que tem a preocupação de construir um jato supersônico ambiental e socialmente responsável, além de 100% carbono neutro."Assim como a AWS está reinventando a computação, estamos reinventando as viagens. Até o final da década, o tempo de voo será cortado pela metade. O Overture é apenas o primeiro passo em direção à nossa visão de um futuro supersônico, porque eu sonho com um dia em que você possa ir a qualquer lugar do mundo em quatro horas por apenas US$ 100, onde o voo mais rápido também seja o mais acessível."


Destaques
Destaques

TIM elege a nuvem e mira não ter mais datacenter em 2023

Ao assumir estar no meio de uma jornada para ser uma operadora 100% baseada em dados, a CIO da TIM Brasil, Auana Mattar, conta como é trabalhar com três provedores: Google, Microsoft e Oracle. Ao participar do SAS Telco Summit 2021, a executiva observou: é importante estudar as aplicações e como elas se comunicam antes de migrá-las para computação em nuvem.

Inteligência Artificial: Com estratégia certa, impacto de quatro pontos no PIB do Brasil até 2030

A inteligência artificial exige que se forme e qualifique profissionais no país, advertem especialistas. Para eles, a IA evoluiu e já passou da etapa de experimentação pra uso industrial. Para Fábio Cozman, da USP, a IA leva o país para a Sociedade 5.0, quando máquinas e seres humanos vão interagir de forma harmoniosa.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como ter nuvem sem reescrever sistemas e adequada à LGPD

Por Marco Wenna*

Como auditar e reescrever linhas de código em tempo hábil para essas migrações para a nuvem a um custo factível para que todas as linhas de código estejam em conformidade com a Lei Geral de Proteção a Dado? Esse é um desafio presente.

Serviços SaaS, proteção de dados e a LGPD

Por Eder Miranda*

Ter um plano abrangente de proteção adicional de dados para as plataformas SaaS é vital para os negócios, uma vez que as empresas não podem abrir sem ter o controle sobre o que está sendo protegido e sobre a maneira como isso está sendo feito pelos fornecedores de software como serviço.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site