Home - Convergência Digital

Oi segrega frequência do 3G para entrar na disputa do 5G

Ana Paula Lobo - 07/10/2020

Em um movimento distinto das rivais, a Oi anuncia a primeira oferta do 5G em Brasília a partir da segregação da frequência do 3G em detrimento da tecnologia DSS.  Em entrevista ao Convergência Digital, o diretor de Marketing de Varejo e Empresarial da Oi, Roberto Guenzburger, diz que o investimento no 5G é a afirmação ao mercado que, enquanto a UPI Móvel estiver sob o controle da Oi, haverá investimentos.

"Fizemos a segregação da faixa do 3G, 2,1GHz, com 10Mhz +10MHz, até porque o 3G está realmente deixando de existir no Brasil. Hoje temos 4G e 2G. Não há compartilhamento do 3G com o 5G. Nós fizemos a segregação para ter uma faixa exclusiva para o 5G e oferecer os benefícios da tecnologia", explica Guenzburger. No caso de Brasília, o fornecedor é a Huawei, mas há pilotos em outras cidades com outros fornecedores. O executivo admite que o 5G no Brasil será, num primeiro momento, para consumidores de alta renda em função do alto custo do equipamento. E explica o porquê de a Oi, nesse momento, não ter ainda a banda larga fixa wireless residencial, a FWA, em Brasília.

"Não há CPE 5G homologada no Brasil pela Anatel e as que estão no mercado externo são ainda equipamentos caros. Assim como o celular 5G é caro, com custo em torno de R$ 5.000,00. Por isso, até escolhemos Brasília, que é a cidade com a maior renda per capita do Brasil", observou o executivo da Oi. Do ponto de vista de estratégia de venda, a Oi quer consolidar a sua marca e aposta na manutenção dos planos do 4G para incentivar a migração para o 5G.

"O nosso cliente só vai ter de comprar o aparelho celular e estamos dando desconto. O chip e os planos 4G são válidos para o 5G. O que recomendamos é que o cliente aumente a sua franquia para usufruir do benefício do 5G. O nosso plano de 100 Giga está por R$ 129,00", adiciona Guenzburger. Dentro da estratégia da Oi de valorizar a fibra, a cobertura em Brasília é considerada muito acima até das rivais com DSS. "Estamos em 80% da cidade e a fibra fará toda a diferença para escoar o tráfego", adiciona o diretor da Oi.

O 5G da Oi está disponível no Plano Piloto (Asa Sul, Asa Norte, Lago Sul, Lago Norte, incluindo a praça dos Três Poderes e Esplanada dos Ministérios), além de outras regiões como os Setores Administrativos (Cruzeiro, Sudoeste, Gama, Planaltina, Guará, Núcleo Bandeirante, Taguatinga, Recanto das Emas, Samambaia, Ceilândia, Sobradinho, São Sebastião, Riacho Fundo e Santa Maria). Sobre novas cidades, Guenzburger é cauteloso, mas diz, que, sim, o plano é levar o 5G para as com maior renda per capita.




Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

20/10/2020
Oi entra na disputa do mercado de marketplaces para consolidar marca de consumo

20/10/2020
EUA pressionam Brasil a banir Huawei em troca de financiamento para 5G

19/10/2020
NASA leva 4G e projeta 5G na Lua

16/10/2020
Projeto Oi Fibra recebe prêmio no Broadband World Forum 2020

15/10/2020
Pelo mínimo de R$ 325 milhões, Oi leiloa cinco datacenters em 26 de novembro

15/10/2020
5G: Teles insistem em filtro nas parabólicas e rejeitam migração da TV

14/10/2020
Curso online gratuito da Huawei sobre 5G é agendado para 15 de outubro

14/10/2020
Sem antenas, Belo Horizonte pode ficar sem 5G

09/10/2020
Oi quer cortar 2 mil postos de trabalho com demissão incentivada

09/10/2020
TIM e TIP, liderado pelo Facebook, criam ambientes de testes OpenRAN na Inatel

Destaques
Destaques

Conexão no campo pode render até R$ 50 bilhões em dois anos

Estudo do Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA) revela que, hoje, faltam quase 15 mil antenas e torres para ofertar o serviço necessário para a digitalização do agronegócio. Os números foram revelados no Painel Telebrasil 2020.

Vitor Menezes, Minicom: Vamos brigar por um leilão 5G não arrecadatório

O Ministério das Comunicações sinalizou às operadoras que trabalha para convencer os colegas de Esplanada a concentrar os valores envolvidos no leilão do 5G em compromissos de cobertura, minimizando o preço a ser pago ao Estado, afirmou o secretário de Telecomunicações, Vitor Menezes, ao participar do Painel Telebrasil 2020.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Internet 5G traz disrupção para Telecomunicações até no modelo de negócio

Por Eduardo Grizendi*

Na RNP, estabelecemos um objetivo estratégico ambicioso – o de prover uma ciberinfraestrutura, segura, de alto desempenho e disponibilidade e, ao mesmo tempo, ubíqua, onipresente, em qualquer lugar e a qualquer hora, para nossas comunidades de educação, pesquisa e inovação.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site