Convergência Digital - Home

Redes definidas por software ficam estratégicas com aplicações na nuvem

Convergência Digital
Por Roberta Prescott - 11/02/2020

As redes definidas por software (SDN, do inglês software-defined networking) estão cada vez mais presente nas empresas. E a maior adoção delas vai impulsionar a adoção de serviços gerenciados de rede e de segurança, segundo apontou a consultoria IDC.

Conforme explicou Luciano Saboia, gerente de pesquisa e consultoria de TIC da IDC Brasil, começou-se a falar em SDN em 2016, mas naquele ano ainda não se tinha uma visão clara do conceito. No ano passado, observou-se um amadurecimento das ofertas de SD-WAN, tanto por parte das operadoras como também dos integradores de serviços de TI.

O entendimento agora é de que as redes devem ser tão ágeis quanto as aplicações que por elas passam. “A realidade imposta é formada por políticas centralizadas, redes híbridas, seleção dinâmica do tráfego, segurança, gerenciamento e analytics – que não eram comuns a esse tema”, disse Saboia. Para as empresas, gerenciamento de serviços representa uma grande porta para aumentar as receitas e emplacar projetos que vão além da conectividade. Já os clientes ainda estão pragmáticos, tomando ao tomar decisões, inicialmente, baseadas em reduções de custos.

Saboia explicou que o amadurecimento do mercado indica uma consolidação com foco em management services, com operadoras (e outros players) cada vez mais capazes de gerir serviços integrados. “As funções de rede e segurança serão cada vez mais virtualizadas: roteamento, Firewall e Next-gen Firewall, Session Border Controller - SBC, WAN Optimization, WLAN Controller, gerenciamento e Analytics para redes”, enumerou.

Para Saboia, um dos impulsionadores para este movimento é a necessidade de modernização das aplicações com a migração para a nuvem; “Com o movimento de workloads para nuvem torna-se necessária uma rede definida por software para permitir que a comunicação ocorra de maneira eficiente”, disse.

A IDC apontou que mais da metade das empresas que possuem formação de redes de dados terá implementado alguma iniciativa de SD-WAN até o término do ano de 2020. Estudos da consultoria revelam que 47% dessas empresas consideram players diferentes das operadoras para essa implantação. “Como o mercado está em estágio inicial, estamos estimando que adoção desse serviço tenha um crescimento de mais de 70% em 2020, excluindo-se a conectividade”, completa.


Destaques
Destaques

IDC: mercado de nuvem pública vai chegar a R$ 15 bilhões em 2020

Mercado de TI brasileiro vai crescer 5,8% impulsioando pelos negócios de clóud computing e pela aceleração do mercado de software. Nuvem privada tem a preferência das grandes empresas e fica com até 25% do orçamento destinado à TI.

BRK Ambiental, CTG Brasil e Via Varejo aderem à nuvem na jornada digital

Empresas implementaram a plataforma SAP S/4HANA para sustentar a estrastégia digital. Os negócios de cloud tiveram forte impacto na receita da SAP Brasil.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desafios às empresas: Contêineres, Orquestração e Microsserviços

Por Lenildo Morais*

Com o padrão “multi-edge edge computing”, o tráfego e os serviços de TI mudam de uma nuvem centralizada para micro-nuvens espalhadas o mais próximo possível dos usuários. As operadoras terão que oferecer serviços sob demanda, e mesmo em tempo real, para atender a todos os tipos de aplicativos.

Você já pensou no impacto que os seus dados geram no planeta?

Por Gustavo Loiola*

Hoje, são milhares de data centers espalhados pelo Planeta. É engraçado pensar nisso quando hoje falamos da tal da “nuvem" que armazena os nossos dados. Tiramos uma foto? Vai para a nuvem. Postamos no Instagram? Vai para a nuvem. Netflix, Spotify, Deezer? O streaming também está na nuvem.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site